Os meus livros preferidos

23 abril 2017


Hoje celebra-se o Dia do Livro e, como todos sabem, eu não sou uma leitora compulsiva, nem pouco mais ou menos. Tenho alguns livros que gostei bastante e outros que me ajudaram em alturas complicadas da adolescência. Sim, porque os livros também são terapêuticos e para quem na ~idade do armário~ só consegue ver de uma maneira, eles podem abrir muitas portas que inconscientemente fechamos. De todas as histórias podemos tirar um valor essencial para a nossa vida, seja essa história real ou não.

O Amor é Outra Coisa / Margarida Rebelo Pinto
Há alturas na vida em que achamos que o ~amor~ é só aquilo que sentimos pelo namoradinho da escola e mais nada. Eu estava numa dessas alturas quando me ofereceram o livro e realmente foi uma grande ajuda. Quando somos mais novos, achamos que tudo gira em redor daquela pessoa e que se o perdemos, deixamos de ter vida e nada é como dantes. Com a ajuda deste livro, que em nada é um livro de ajuda, consegui passar a ver a vida de forma diferente e a valorizar tudo aquilo que não valorizava como sendo amor. Os amigos, a família, os gestos de simpatia e compaixão, certos momentos do meu dia, o trabalho... tudo é amor se olharmos para isso de outra forma.
Apesar de não achar que a Margarida Rebelo Pinto seja uma escritora de outro mundo, ela concebeu um livro que nos mete a ver a vida de diferentes prismas, que incentiva as mulheres a não deixarem de amar, só por causa de um desgosto e também retrata um pouco os homens que têm medo de se exprimir e entregar.

Chama-lhe Amor / Vera Lúcia Silva
Foi um livro que me ofereceram no Natal de 2015 e que eu adorei. Entramos numa história como se de um diário se tratasse. Vamos ficando envolvidos numa trama que chega a baralhar os nossos pirolitos, mas depois... tudo se revela. Estamos no meio da vida da Maria, uma mulher bipolar, que leva os seus dias tão cinzentos que quanto mais lemos, mais queremos perceber o que se passa. Há uma review aí pelo blog, se quiserem ver.

A Rapariga no Comboio / Paula Hawkins
Adoro mistérios e este livro foi qualquer coisa dessas. Não me vou adiantar muito, pois já falei do filme e do livro por aqui. Foi um livro interessante e viciante, que nos faz ver que nem sempre as coisas são como nós as vemos. Fulano não tem uma grande vida, como nós pintamos. Fulana não é tão má pessoa como a pintamos. E aquele amor de perdição também não é assim tão bonito como o achávamos ser. No meio de um enredo enorme, descobrem-se coisas muito essenciais à vida e é aí que eu acho que está o outro ponto do livro.

8 comentários

  1. Os outros livros não li. Confesso que não sou grande fã de Margarida Rebelo Pinto.
    Mas adorei a rapariga no comboio, é mesmo muiito bom!

    Bom domingo :)
    http://gestoolharesorriso.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também não adoro a escrita dela, mas este marcou apenas por me ajudar a resolver certas coisas que sozinha não resolvia :)

      Eliminar
  2. Fico tão contente por teres gostado tanto do "chama-lhe amor" ��

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão é... quando é que há mais livrinhos destes? :D

      Eliminar
  3. Não conheço nenhum dos três mas ‘A Rapariga do Comboio’ faz parte da minha Wish List!

    Beijinhos, Hellen ❤
    http://instantesimprovaveis.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  4. Olá! Ando há tanto tempo para comentar que vou aproveitar este post :)
    Sigo o teu blog há algum tempo e gosto bastante.
    Em relação aos livros, li a "A Rapariga no Comboio" numa tarde e gostei bastante :)
    Já li uns três livros da Margarida Rebelo Pinto mas não consigo gostar, não me perguntes porquê.
    O "Chama-lhe Amor" não conhecia, mas parece-me interessante!
    *

    ResponderEliminar
  5. Estive para ler o livro "A Rapariga no Comboio" antes de ir ver o filme, mas a pilha de livros que tenho em lista de espera para ser lidos não permitiu :s
    beijinho
    http://adiaryb.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

© let's do nothing today por Vanessa Moreira.