O que eu sou

28 abril 2017


Serei a única que fica parada no tempo quando lhe perguntam como és?, do que gostas?, que tipo de pessoa és?, etc.? São tantas as vezes que me pergunto sobre isto que sinceramente ainda não encontrei uma resposta. É óbvio que sabemos quem somos, do que gostamos, mas se refletirmos apenas nisso, parece estranho falarmos de nós.

Eu sou uma pessoa muito reservada. Se não souberem que se passou alguma coisa comigo, também não o vão perceber facilmente. Levo a vida a sorrir e bem disposta, quer esteja triste ou não, porque aprendi que os outros se ~alimentam~ das nossas fraquezas. Mas também se estiver de mau humor, facilmente toda a gente o percebe, pois não consigo conter isso.

Mas do que é que eu realmente gosto? Toda a vida procurei respostas para isto, porque eu adoro tudo e não me interesso exclusivamente por uma só coisa. Desde sempre que desenho e adoro o mundo das artes, seja multimédia ou não. Desde sempre que me interesso por história e meteorologia. Também não escapo ao desporto.
Eu segui Artes, porque gostava/gosto. Se hoje voltasse a ter 14 anos e tivesse de decidir escolher o meu futuro de novo, o mais provável era seguir os mesmos passos. Continuo apaixonada por fotografia, pelo campo, pelas viagens, pelo céu! E a coisa que mais gozo me dá é fotografar, criar e editar imagens, conhecer coisas novas. Por isso é que eu adoro encontrar páginas e blogs onde se compartilham conhecimentos. Porque compartilhar é amor e em grande parte é isso que eu gosto de fazer, de partilhar com os outros as coisas que vejo e faço. O que é do artista se ele não partilhar com todos aquilo que produz? O que é da fotografia se não houver alguém para a admirar, para ver o que foi visto com outros olhos? O que é do céu, que todos os dias nos contempla, se não houver ninguém para o admirar?

Acho que é aí que entra a pergunta o que é que eu sou e do que é que eu gosto afinal?. E eu acho que não sei, mas provavelmente responderia que sou curiosa pelo mundo que me rodeia. Não há nada melhor do que encontrarmos a felicidade nas pequenas coisas do nosso dia-a-dia e se isso quer dizer que vou aprender coisas novas, melhor ainda.

 ▲

É uma pergunta simples, mas que traz tanta coisa à balha. Mais alguém se questiona quanto a isto?

4 comentários

  1. Tenho exactamente as mesmas dores de crescimento :) como se pode definir algo tão complexo?! Não sei. Gosto de tanta coisa, sou de tanta forma diferente, consoante as circunstâncias...acho que é mesmo isto que nos define como serem humanos: somos complexos que dói!

    Jiji

    ResponderEliminar
  2. As vezes é bom ser assim, mas outras nem por isso.
    Por ser tão reservada é que cheguei ao ponto que cheguei.. .:)
    Mas se te consegues manter sempre firme com ou sem problemas, é bom sinal, é sinal que te consegues controlar em todas as circunstancias.

    Beijinhos,
    www.pirilamposemarte.com

    ResponderEliminar
  3. O importante é sabermos o que não gostamos, e aí saberemos perfeitamente o que gostamos, sem sabermos concretamente. Assim é que a vida é gira! :D

    ResponderEliminar
  4. É uma pergunta muito pertinente e muitas vezes bastante difícil mas nos últimos tempo tenho percebido que precisamos de nos conhecer bem para dar o melhor de nós.

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

© let's do nothing today por Vanessa Moreira.