A minha alegre casinha

25 outubro 2016

Foto
A jornada ainda mal começou e já é uma completa dor de cabeça. Eu e o G temos planos para arranjar casa em 2017/2018, então começámos a nossa pesquisa intensiva colocando alguns filtros: queremos ir morar para uma zona que fique a meio caminho para ambos, que tenha escolas para os nossos futuros filhos (se vierem a existir), que tenha supermercados, basicamente que tenha tudo por perto; queremos um T3, porque não queremos o nosso quarto e o do filho, queremos algo mais; queremos uma casa térrea com um quintal que dê para uma churrasqueira e nada de apartamentos.

Provavelmente queremos coisas demais para aquilo que a zona nos oferece. Actualmente faço 25km para o meu trabalho, se fossemos para lá iria fazer 55km. Ele faz 50km da casa dele, de lá faria mais ou menos 30km. Parecendo que não, acabamos por gastar/poupar um pouco, porque ele tem horários rotativos e eu passo um dia inteiro no meu local de trabalho e só faria algo em casa depois de jantar. Maaas, nesta zona as casas custam um balúrdio.

Li os conselhos da Catarina, do Daydreams, e em parte fiquei mais aterrorizada por aquilo ser mesmo verdade. Já me tinham dito, mas eu fiquei um pouco incrédula, só que é mesmo verdade: é uma completa dor de cabeça comprar casa. Já estabelecemos um limite de preço, já vimos a oferta da zona, continuamos com a ideia de comprar terreno e construir de raiz e a coisa parece continuar assim, complicada.

Vi casas que só me apetecia partir tudo e fazer de novo a 100.000€, o que me choca imenso. Vi terrenos pequenos e gigantescos a preços completamente desequilibrados. Não sei, provavelmente o problema é nosso, mas algumas pessoas abrem a boca e pedem o que querem, certo? É que só pode. Estão a imaginar um monte em ruínas a custar 80.000€ sem um terreno ou acesso de jeito? Eu vi, mas também vi uma casa que calçava mesmo bem o nosso número, que era tudo aquilo que imaginámos e mais um bocadinho... mas o preço é absurdo: 264.000€. Fiquei para morrer.

Nisto a luta continua e vamos a ver como é que as coisas fluem. Espero que apareça uma casinha interessante a um preço aceitável ou um terreno que nos dê margem para construirmos o nosso cantinho à imagem que queremos. Desejem-nos sorte, porque isto anda complicado.

7 comentários

  1. Eu ao fim de um dia faço 80km por dia para ir trabalhar e voltar para casa.
    Acredita é um gasto enorme, e tendo um carro com o combustivel a gasolina ainda pior.
    O problema é que não há nada mais perto de casa, e não vou ficar em casa só por isso.
    Mas para além de ser uma grandeeeee despesa, é muito cansativo porque tens um dia de trabalho e ainda uma viagem grande. Existem dias que nem me apetece levantar da cama. mas pronto.
    Comprar casa não compro, porque nunca sei o dia de amanhã.
    Tenho 24 anos, espero ter muitas oportunidades, nem que seja fora da zona de onde vivo, e comprar casa só me ia prender.

    Beijinhos
    www.wordsofsophie.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ao todo faço uns 65km por dia, contando que vou almoçar à casa de uma prima que mora a 6km do meu local de trabalho. Como não tenho sítio para almoçar, é a melhor solução e posso trazer a minha comidinha.
      Alugar uma casa está completamente fora de questão, somos ambos contra o facto de pagarmos algo que nunca será nosso e onde, pelo que temos visto, precisávamos de fazer obras. Não vou arranjar algo que não é meu, certo?
      Actualmente com um carro a gasolina consigo gastar 120€-180€ por mês em combustível :/ o que é qualquer coisa.

      Eliminar
    2. Por acaso, eu sou exactamente ao contrário e prefiro alugar casa. Assim, se entretanto arranjar algo melhor posso simplesmente mudar-me ou se quiser ir viver para outro sítio. Não me imagino a estar dependente de alguém querer comprar a casa para me poder mudar. É verdade que quando compramos casa, ela é nossa, mas só ao fim de não sei quantas décadas porque, até lá, é do banco...

      Eliminar
  2. Fazer de raiz vai dar-te ainda mais dores de cabeça, acredita!!
    Se é para 2017/2018 ainda tens muito tempo...não te stresses!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei que sim, mas as casas feitas que temos visto não correspondem em nada a uma casa "decente". São tão velhinhas e com divisões pequenas... uma dor de cabeça.

      Eliminar
  3. Vais ver que vais encontrar o teu espaço.

    Cátia ∫ Meraki

    ResponderEliminar
  4. Com persistência e vontade tudo se consegue. Nós também andamos a analisar, mas pensamos para daqui a alguns anos. A dificuldade é bem grande, mas tudo se consegue!

    ResponderEliminar

© let's do nothing today por Vanessa Moreira.