O QUE É O RAW?

18 abril 2016

O que é o RAW?

Um pouco de aprendizagem não faz mal a ninguém e se continuam a achar que basta olhar pela máquina e fotografar para sair algo de jeito, venho aqui mostrar-vos que existe ~muito~ trabalho por detrás de uma fotografia.



Não sou fotógrafa, faço isso por hobbie, mas sei algumas coisinhas que podem ajudar os mais distraídos. Há máquinas que não têm este tipo de ficheiro, por isso ainda lhes dou o benefício da dúvida, porém há quem o tenha e não o use, não saiba que existe ou não o sabe usar a seu favor. E estou a falar do quê? Do ficheiro RAW.

O QUE É O RAW? //
Antigamente, no tempo analógico, existiam os negativos, que tinham de passar por um grande processo para depois termos a foto. Actualmente, com o mundo da fotografia digital altamente evoluído, não temos esse trabalho e, basicamente, a papinha vem toda feita.
O RAW é o equivalente digital do negativo das analógicas. Permite-nos editar infindavelmente as nossas fotos, tal como os negativos antigos, tirando que, quando antigamente queimávamos uma foto com muita luz ou wtv e essa foto estava perdida, hoje em dia tudo se pode contornar.

PORQUE É TÃO IMPORTANTE? //
Ora bem, nós fotografamos em massa, actualmente. Temos uma máquina digital que pode tirar ~imensas~ fotos, sem trocar o rolo. Bom, quem tiver uma Nikon mais ou menos como a minha ou Canon ou wtv, pelo menos que sejam mais ~evoluídas~ tem acesso a um ficheiro RAW (no meu caso chama-se NEF), podem programar as vossas máquinas para guardarem as fotos como ficheiro RAW+JPEG, o que vos irá sempre dar 2 ficheiros por fotografia:
• O RAW tem tudo aquilo que a máquina captou comprimido num só ficheiro e que nos permite editar de 1001 maneiras através de um programa que abra esse ficheiro (os mais populares são o Adobe Photoshop e o Lightroom, mas há máquinas que trazem um CD com um programa específico). Este ficheiro permite-nos ir buscar tudo aquilo que não vemos nas fotos em JPEG: se a foto queimou com o excesso de luz, podemos retirar isso e a foto fica perfeita; se a foto ficou escura demais, podemos abrir a sombra e acabamos por ter o registo de tudo na mesma, como se tivéssemos a fazê-lo correctamente na hora. As desvantagens do RAW? É um ficheiro mais pesado que o JPEG e isso pode condicionar a quantidade de fotos que possamos ou não tirar.
Fiz uma pequena edição no Lightroom para vos mostrar a diferença do RAW original para o editado:
RAW - antes e depois

• O JPEG é prático, é leve, é o resultado do que vimos num ficheiro comprimido pela própria máquina. Por vezes conseguimos salvar a foto, mesmo que esteja má, embora isso sacrifique muitos detalhes importantes e possa vir a queimar partes que são super importantes nessa fotografia. Para mim, as desvantagens começam aí: eu gosto de ter a imagem verdadeira num ficheiro que posteriormente posso editar e ter tudo o que vi, a olho nu, com todos os detalhes preservados, do que ter um ficheiro que à mínima edição se queima/estraga, perde qualidade, perde detalhes, perde cores reais, etc.
Também fiz uma pequena edição, desta vez no Photoshop, para vos mostrar a diferença do JPEG original para o editado, embora não seja o melhor exemplo (bom era mostrar-vos uma foto escura a ir buscar os tons, mas foi o que vos consegui arranjar hoje):
JPEG - antes e depois

Como podem ver, através do RAW consegue-se editar aquilo que queremos: luz, sombra, detalhes, cor, etc., sem perdermos a essência da foto. Através do JPEG, não sei, acho que vai muito por aquilo que vocês pretendem, se querem rapidez e estão a borrifar-se para o resultado perfeito, força nisso. Pessoalmente, sou adepta de edição, porque acho que qualquer foto fica melhor com um toque mais pessoal, além do nosso olho. Há quem não ache, prefira ter a foto ~pronta~ que é o JPEG e a use assim mesmo, dê-lhe uns toques no Photoshop e pronto.
De qualquer das maneiras, se querem que as vossas fotos tenham mais qualidade, usem o RAW, porque ele será o vosso melhor amigo em tudo! Se a foto está escura/clara demais, ele melhora-a sem a estragar, o que já não acontece com o JPEG.

Enviar um comentário

© let's do nothing today por Vanessa Moreira.